Festival de Cinema de Brasília divulga seleção da 51ª edição, com maioria produzida por mulheres

Nesta quinta-feira (30), a curadoria do Festival de Cinema de Brasília anunciou a lista dos longas e curtas-metragens que rechearão a seleção oficial da 51ª edição.

Presidida por Eduardo Valente, cineasta que já trabalhou na Ancine (Associação Nacional de Cinema), a comissão selecionou projetos que promovem uma discussão interessante dentro da própria indústria: a maioria das produções, tanto curtas quanto longas, foram dirigidas, co-dirigidas ou produzidas por mulheres.

Um real sentido dado por essa seleção, que complementará os debates de um dos festivais de cinema mais importantes do país, que influencia no comportamento e no consumo desses filmes ao decorrer do calendário.

Alguns dos destaques, que com certeza merecem uma assistida e repercussão posterior, ficam por conta de “Temporada“, novo filme do promissor diretor mineiro André Novaes de Oliveira; “Bixa Travesty“, um documentário filmado pela Claudia Priscilla em parceria com Kiko Goiffman, que fora bem recebido e debatido afinco em Berlim, no começo do ano.

Além deles, Gabriela Amaral Almeida, que estará em cartaz com “Animal Cordial” em agosto, exibirá seu próximo filme, “A Sombra do Pai” no festival e também fica um alerta para “Ilha“, de Ary Rosa e Glenda Nicácio e “Torre das Donzelas“, documentário comandado pela carioca Susanna Lira, que filmou o ótimo “Intolerância“, de 2016.

Na seção de curtas,”Boca de Loba“, de Bárbara Cabeça; “Plano Controle“, de Juliana Antunes (que estreou no último mês nos cinemas com “Baronesa“), “Reforma“, de Fábio Leal, que foi o vencedor em 2017 do prêmio da Associação de Críticos de Cinema do Rio Janeiro (ACCRJ) com “O Porteiro do Dia“, além de “Guaxuma“, da Nara Normande, que ganhou o Grande Prêmio Canal Brasil no Anima Mundi em 2018.

A comissão selecionadora foi composta, além de Valente, pela professora e pesquisadora Beatriz Furtado; a cineasta e coordenadora do FestUni Brasília Érika Bauer; o escritor e cineasta Erly Vieira Jr; e o crítico de cinema e curador Heitor Augusto. A seleção dos curtas ficou à cargo da professora e pesquisadora Amaranta Cesar; da pesquisadora e curadora Janaína Oliveira; do programador e editor Leonardo Bonfim; e da produtora e curadora Thay Limeira.

O 51º Festival de Cinema de Brasília acontecerá entre 14 e 23 de setembro de 2018.

Confira a lista completa

Filmes de Longa-metragem

Bixa Travesty, de Claudia Priscilla e Kiko Goifman (SP), documentário
Bloqueio, de Quentin Delaroche e Victória Álvares (PE), documentário
Ilha, de Ary Rosa e Glenda Nicácio (BA), ficção
Los Silencios, de Beatriz Seigner (SP/Colômbia/França), ficção
Luna, de Cris Azzi (MG), ficção
New Life S.A., de André Carvalheira (DF), ficção
A Sombra do Pai, de Gabriela Amaral Almeida (SP), ficção
Temporada, de André Novais Oliveira (MG), ficção
Torre Das Donzelas, de Susanna Lira (RJ), documentário

Filmes de Curta-metragem

Aulas que Matei, de Amanda Devulsky e Pedro B. Garcia (DF), ficção
Boca de Loba, de Bárbara Cabeça (CE), ficção
Br3, de Bruno Ribeiro (RJ), ficção
Conte Isso Àqueles que Dizem que Fomos Derrotados, de Aiano Bemfica, Camila Bastos, Cristiano Araújo e Pedro Maia de Brito (PE/MG), documentário
Eu, Minha Mãe e Wallace, de Irmãos Carvalho (SP/RJ), ficção
Guaxuma, de Nara Normande (PE), animação
Kairo, de Fabio Rodrigo (SP), ficção
Liberdade, de Pedro Nishi e Vinicius Silva (SP), documentário
Mesmo com Tanta Agonia, de Alice Andrade Drummond (SP), ficção
Plano Controle, de Juliana Antunes (MG), ficção
Reforma, de Fábio Leal (PE), ficção
Sempre Verei Cores no seu Cinza, de Anabela Roque (RJ), documentário