Erasmo Carlos transforma Cineteatro São Luiz em salão de dança

No último domingo, dia 09, o Cineteatro São Luiz recebeu em seu palco o inesgotável Erasmo Carlos. Porém, antes de contagiar o público com seu repertório formado de grandes sucessos, o cine exibiu o longa-metragem “Minha Fama de Mau“, de “Lui Farias“. O longa conta a história de vida do cantor.

Com início às 18h em ponto – nenhum minuto a mais e nenhum minuto a menos -, o show é parte do projeto que apresenta o novo álbum de Erasmo, “…Amor é Isso“. No telão do palco começa uma contagem regressiva que ao final traz a mensagem de que toda forma de demonstrar amor é válida, ainda mais quando essa demonstração é através de gestos. Tema discutido no atual trabalho de Erasmo Carlos, a representação de amor ao próximo.

Foto: Henrique Kardozo
Foto: Henrique Kardozo

O show começa e a platéia foi ao delírio ao se encontrar com Erasmo cantando um dos seus novos sucessos, “Amor é Isso”, trilha que dá nome ao álbum. Logo após finalizar a primeira canção da noite, o cantor deseja boa noite ao Cineteatro, agradeceu quem esteve presente e logo em seguida, um rapaz da sua equipe subiu ao palco para pegar a guitarra que Erasmo utilizava. O cantor tem o prazer de apresentar seu ajudante, que se chama Michel e diz: “Esse é o Michel, o meu Michel. O meu Michel é do bem”. Para quem estava mais atento, conseguiu interpretar o tipo de mensagem que Erasmo quis passar naquele momento.

Logo em seguida o show continuou, com um setlist encorpado por sucessos que marcaram gerações, como: “Mulher“, “Pode Vim Quente Que eu Estou Fervendo“, “Sou uma criança, não entendo nada“, “Sentado à beira do caminho” e entre outras.

Foto: Henrique Kardozo
Foto: Henrique Kardozo

O show foi dividido em partes, primeiro uma introdução que fez a platéia cantar as músicas na ponta da língua, outra que fez o público ouvir Erasmo cantar só na base de voz e teclado, e a outra um rock’n’roll mais dançante que fez todo mundo levantar e dançar.

Para quem conhece “…Amor É Isso” pode ter ficado frustrado por Erasmo e banda ter tocado poucas músicas do atual trabalho. Além da música de abertura, foram tocadas “Termos e Condições” e “Convite Para Nascer de Novo“, música na qual o Tremendão concorreu a melhor canção em língua portuguesa no Grammy Latino de 2018. Dito isso, faça um favor para si mesmo e ouça “…Amor É Isso”, ok? O álbum está presente em todas as plataformas digitais.

Foto: Henrique Kardozo
Foto: Henrique Kardozo

Com uma platéia diversificada no quesito idade, mas bem dominante pela terceira idade, podemos dizer que foi um show que agradou a todos. Você podia encontrar de tudo, casais apaixonados, famílias e grupos de amigos.

Erasmo Carlos pode ser considerado um artista completo. Ele canta, toca guitarra e pandeirola, atua, sua música traz algum tipo de mensagem, e o principal, Erasmo não ignora o momento atual que vive nosso país. De forma indireta, o show teve várias mensagem do cantor sobre o que é democracia.

Foto: Henrique Kardozo
Foto: Henrique Kardozo

Apesar de ter se emocionado em alguns momentos, não teve nenhum momento em que o espetáculo deu aquela desanimada. Como o Tremendão mesmo falou, ele é um dos poucos artistas ‘mundiais’ que teve a honra de exibir seu filme e depois fazer um show.

Enfim, o show de Erasmo Carlos quando acaba deixa um gosto de quero mais. É gratificante ver um artista que transcende décadas ainda em atividade constante. As pessoas precisam usufruir mais de Erasmo Carlos, já que ele nunca deixou de fazer o que lhe deixa feliz, que é cantar e tocar.

O tradicional projeto “Compartilha Animação” inicia uma nova edição

Como de costume anual, o  Cine Ceará – Festival Ibero-americano de Cinema é aberto com a exibição de um curta-metragem de animação produzido por um grupo de estudantes do ensino fundamental e médio. Eles são selecionados entre cerca de 100 participantes de oficinas do projeto Compartilha Animação, que há mais de dez anos integra a rede de ações de responsabilidade social desenvolvida pela Enel.

A cada edição, cinco instituições públicas de ensino integram o projeto e cada uma delas seleciona 20 alunos para participar da oficina de animação cinematográfica. Esse ano, o projeto começa a partir do dia 4 de junho, na EMEIEF Dom Helder Pessoa Câmara, no Siqueira, onde acontece durante três dias. De 5 a 7 a oficina será ministrada na Escola Municipal Taís Maria Bezerra Nogueira, no Jangurussu. De 12 a 14, é a vez dos alunos da EEFM Professor Aloysio Barros Leal, no Barroso. E de 17 a 19 acontece, pela manhã, na Escola de Tempo Integral Maria Odete da Silva Colares e, à tarde, na EEFM Governador Virgílio Távora, ambas em Messejana. Juntas, as cinco escolas envolvem o total de 100 estudantes no projeto. Todas as oficinas acontecem na própria escola, durante três dias, das  8h às 11h.

O professor e cineasta Telmo Carvalho é quem ministra as oficinas e, após a primeira fase do Compartilha Animação realizada nas cinco escolas, ele escolherá dois de cada instituição para a segunda etapa do projeto, que acontecerá no mês de julho, no Núcleo de Cinema de Animação da Casa Amarela Eusélio Oliveira, da Universidade Federal do Ceará (UFC).


Tema da oficina 

Durante um mês de curso na Casa Amarela, os jovens cineastas vão criar um curta-metragem de até cinco minutos com o tema “Igualdade de gêneros”. A estreia do filme será para uma plateia lotada no Cineteatro São Luiz, no dia 31 de agosto, por ocasião da abertura oficial do 29º Cine Ceará. Na primeira aula, um representante da Enel fará uma palestra para os alunos, sobre o projeto e o tema escolhido para o curta-metragem que vão desenvolver nesta edição.


O Projeto

A missão do projeto é introduzir, por meio de aulas teóricas e práticas, a linguagem do audiovisual à rotina de jovens estudantes, que durante a segunda fase têm acesso a equipamentos e programas de computador utilizados em grandes estúdios cinematográficos.


Com mais de 2 mil crianças de escolas públicas de Fortaleza e outras cidades do interior do estado, ao longo desses mais de dez anos, a ação é uma responsabilidade social desenvolvida pela Enel, que é realizado pela Associação Cultural Cine Ceará e o Instituto Água Boa Cultural, em parceria com a Casa Amarela Eusélio Oliveira, da Universidade Federal do Ceará (UFC), viabilizado pelo Mecenato Estadual do Ceará e conta com apoio do Governo do Estado do Ceará através da Secretaria de Cultura (Secult).

Cineteatro São Luiz relembra obra de Ingmar Bergman na Mostra Perfil de Cinema

O ano de 2018 marca o centenário do cineasta Ingmar Bergman. O Cineteatro São Luiz nos dias 15, 17, 20, 22, 23, 28, 29 e 30 apresenta a Mostra Perfil de Cinema colocando em cartaz seis filmes do diretor em alusão ao seu centésimo aniversário (comemorado em julho). Dentre as obras escolhidas, estão: “Morangos Silvestres”, “Persona – Quando Duas Mulheres Pecam”, “O Sétimo Selo”, “Fanny e Alexander”, “Gritos e Sussurros” e “Sonata de Outono”.

As sessões têm entrada gratuita e ocorrem no Cineteatro São Luiz (Rua Major Facundo, 500 – Centro). A retirada dos ingressos iniciam uma hora antes de cada sessão na bilheteria do Cineteatro e se dá mediante apresentação de documento de identificação com foto.

Confira abaixo os horários e informações dos filmes!

DIA 15/08 (Quarta-feira)

18h [CINEMA] MOSTRA PERFIL DE CINEMA – INGMAR BERGMAN | MORANGOS SILVESTRES

Entrada: Gratuita | Classificação indicativa: 14 anos

Direção de Ingmar Bergman | Drama | Suécia | 1957 | 1h32 | Legendado

Sinopse: Isak Borg (Victor Sjöström) é um professor de medicina que revisita vários momentos marcantes de seu passado durante uma viagem de carro até sua antiga universidade, onde ele irá receber uma honraria. Acompanhado de sua nora Marianne (Ingrid Thulin) ele evoca memória de sua família e de sua ex-namorada. Durante a viagem ele conhece uma garota adolescente que em muito se assemelha a Sara, seu antigo amor. A jovem pega carona com o professor e Marianne. Quanto mais Borg recorda as decepções e desilusões que viveu, mais ele se sente frio e cheio de culpa. Esses sentimentos se afloram quando ele encontra seu filho, igualmente frio e ressentido.


DIA 17/08 (Sexta-feira)

19h [CINEMA] MOSTRA PERFIL DE CINEMA – INGMAR BERGMAN | PERSONA – QUANDO DUAS MULHERES PECAM

Entrada: Gratuita | Classificação indicativa: 14 anos

Direção de Ingmar Bergman | Drama | Suécia | 1966 | 1h24 | Legendado

Sinopse: Após um desempenho na peça “Electra”, uma famosa atriz, Elisabeth Vogler (LIv Ullmann), pára de falar. Sua psiquiatra, Lakaren (Margaretha Krook), a deixa sob os cuidados de Alma (Bibi Andersson), uma dedicada enfermeira. Como já fazem três meses que Elisabet não profere uma palavra, Lakaren decide que ela deva ser mandada para uma isolada casa de praia, com Alma. Na casa Alma fala pelas duas, pois Elisabet continua muda, comunicando-se apenas com pequenos gestos. Com o convívio Alma fica uma pouco enamorada pela atriz. Num dia conta para Elisabeth sobre uma excitante experiência sexual que teve numa praia, com desconhecidos, e a conseqüência desagradável disto. Pouco depois de fazer esta confidência ela lê uma carta que Elisabeth tinha escrito, onde fica chocada ao descobrir que a atriz pensa nela como um divertido objeto de estudo.


DIA 20/08 (Segunda-feira)

13h30 [CINEMA] MOSTRA PERFIL DE CINEMA – INGMAR BERGMAN | O SÉTIMO SELO

Entrada: Gratuita | Classificação indicativa: 16 anos

Direção de Ingmar Bergman | Drama | Suécia | 1956 | 1h36 | Legendado

Sinopse: Após dez anos, um cavaleiro (Max Von Sydow) retorna das Cruzadas e encontra o país devastado pela peste negra. Sua fé em Deus é sensivelmente abalada e enquanto reflete sobre o significado da vida, a Morte (Bengt Ekerot) surge à sua frente querendo levá-lo, pois chegou sua hora. Objetivando ganhar tempo, convida-a para um jogo de xadrez que decidirá se ele parte com a Morte ou não. Tudo depende da sua vitória no jogo e a Morte concorda com o desafio, já que não perde nunca.

16h [CINEMA] MOSTRA PERFIL DE CINEMA – INGMAR BERGMAN | FANNY E ALEXANDER

Entrada: Gratuita | Classificação indicativa: 14 anos

Direção de Ingmar Bergman | Drama | Suécia, França, Alemanha Ocidental | 1982 | 3h02 | Legendado

Sinopse: No início do século XX, após um alegre Natal na família Ekdahl, o pai de um casal de crianças vem a falecer. Deste momento em diante Alexander (Bertil Guve), o menino, passa a ver o fantasma do pai freqüentemente. Tempos depois Emilie (Ewa Fröling), sua mãe, casa-se com um extremamente rígido religioso e as crianças são obrigadas a deixar a casa da avó paterna, onde foram muito felizes, e passam a viver com a família do padrasto de hábitos severos, onde são tratados como prisioneiros. Na casa do padrasto o menino passa a ver o fantasma da primeira esposa dele e suas filhas, que haviam morrido tentando escapar dele. Decorrido algum tempo, a mãe se conscientiza da real personalidade do marido e de quanto seus filhos sofrem naquela casa, assim planeja um modo de tirá-los daquele lugar e levá-los de volta à casa da avó.

19h30 [CINEMA] MOSTRA PERFIL DE CINEMA – INGMAR BERGMAN | GRITOS E SUSSURROS

Entrada: Gratuita | Classificação indicativa: 18 anos

Direção de Ingmar Bergman | Drama | Suécia | 1972 | 1h30 | Legendado

Sinopse: Em uma casa no campo uma mulher está bastante enferma e recebe cuidados de suas duas irmãs e de uma empregada da família, que precocemente perdeu sua filha e por isso extravasa seu amor de mãe dando o maior carinho possível para aquela moça tão debilitada. Dentro deste contexto lembranças, frustrações e imaginações em um misto de amor e ódio surgem no interior de cada pessoa.


DIA 22/08 (Quarta-feira)

16h e 19h [CINEMA] MOSTRA PERFIL DE CINEMA – INGMAR BERGMAN | SONATA DE OUTONO

Entrada: Gratuita | Classificação indicativa: 14 anos

Direção de Ingmar Bergman | Drama | Suécia, França, Alemanha Ocidental | 1978 | 1h33 | Legendado

Sinopse: Após ter sido uma mãe ausente por anos, Charlotte (Ingrid Bergman), uma renomada pianista, vai até a casa de sua filha Eva (Liv Ullmann) para lhe fazer uma visita. Ela se surpreende ao encontrar sua outra filha, Helena (Lena Nyman), que tem problemas mentais. Eva tirou Helena da instituição que Charlotte a havia internado para cuidar dela em casa. A tensão entre mãe e filha começa a crescer devagar até elas colocarem tudo em panos limpos, dizendo tudo que sempre gostariam de dizer.


DIA 23/08 (Quinta-feira)

16h [CINEMA] MOSTRA PERFIL DE CINEMA – INGMAR BERGMAN | FANNY E ALEXANDER

Entrada: Gratuita | Classificação indicativa: 14 anos

Direção de Ingmar Bergman | Drama | Suécia, França, Alemanha Ocidental | 1982 | 3h02 | Legendado

Sinopse: No início do século XX, após um alegre Natal na família Ekdahl, o pai de um casal de crianças vem a falecer. Deste momento em diante Alexander (Bertil Guve), o menino, passa a ver o fantasma do pai freqüentemente. Tempos depois Emilie (Ewa Fröling), sua mãe, casa-se com um extremamente rígido religioso e as crianças são obrigadas a deixar a casa da avó paterna, onde foram muito felizes, e passam a viver com a família do padrasto de hábitos severos, onde são tratados como prisioneiros. Na casa do padrasto o menino passa a ver o fantasma da primeira esposa dele e suas filhas, que haviam morrido tentando escapar dele. Decorrido algum tempo, a mãe se conscientiza da real personalidade do marido e de quanto seus filhos sofrem naquela casa, assim planeja um modo de tirá-los daquele lugar e levá-los de volta à casa da avó.

19h30 [CINEMA] MOSTRA PERFIL DE CINEMA – INGMAR BERGMAN | O SÉTIMO SELO

Entrada: Gratuita | Classificação indicativa: 16 anos

Direção de Ingmar Bergman | Drama | Suécia | 1956 | 1h36 | Legendado

Sinopse: Após dez anos, um cavaleiro (Max Von Sydow) retorna das Cruzadas e encontra o país devastado pela peste negra. Sua fé em Deus é sensivelmente abalada e enquanto reflete sobre o significado da vida, a Morte (Bengt Ekerot) surge à sua frente querendo levá-lo, pois chegou sua hora. Objetivando ganhar tempo, convida-a para um jogo de xadrez que decidirá se ele parte com a Morte ou não. Tudo depende da sua vitória no jogo e a Morte concorda com o desafio, já que não perde nunca.


DIA 28/08 (Terça-feira)

19h [CINEMA] MOSTRA PERFIL DE CINEMA – INGMAR BERGMAN | PERSONA – QUANDO DUAS MULHERES PECAM

Entrada: Gratuita | Classificação indicativa: 14 anos

Direção de Ingmar Bergman | Drama | Suécia | 1966 | 1h24 | Legendado

Sinopse: Após um desempenho na peça “Electra”, uma famosa atriz, Elisabeth Vogler (LIv Ullmann), pára de falar. Sua psiquiatra, Lakaren (Margaretha Krook), a deixa sob os cuidados de Alma (Bibi Andersson), uma dedicada enfermeira. Como já fazem três meses que Elisabet não profere uma palavra, Lakaren decide que ela deva ser mandada para uma isolada casa de praia, com Alma. Na casa Alma fala pelas duas, pois Elisabet continua muda, comunicando-se apenas com pequenos gestos. Com o convívio Alma fica uma pouco enamorada pela atriz. Num dia conta para Elisabeth sobre uma excitante experiência sexual que teve numa praia, com desconhecidos, e a conseqüência desagradável disto. Pouco depois de fazer esta confidência ela lê uma carta que Elisabeth tinha escrito, onde fica chocada ao descobrir que a atriz pensa nela como um divertido objeto de estudo.


DIA 29/08 (Quarta-feira)

19h [CINEMA] MOSTRA PERFIL DE CINEMA – INGMAR BERGMAN | GRITOS E SUSSURROS

Entrada: Gratuita | Classificação indicativa: 18 anos

Direção de Ingmar Bergman | Drama | Suécia | 1972 | 1h30 | Legendado

Sinopse: Em uma casa no campo uma mulher está bastante enferma e recebe cuidados de suas duas irmãs e de uma empregada da família, que precocemente perdeu sua filha e por isso extravasa seu amor de mãe dando o maior carinho possível para aquela moça tão debilitada. Dentro deste contexto lembranças, frustrações e imaginações em um misto de amor e ódio surgem no interior de cada pessoa.


DIA 30/08 (Quinta-feira)

19h [CINEMA] MOSTRA PERFIL DE CINEMA – INGMAR BERGMAN | MORANGOS SILVESTRES

Entrada: Gratuita | Classificação indicativa: 14 anos

Direção de Ingmar Bergman | Drama | Suécia | 1957 | 1h32 | Legendado

Sinopse: Isak Borg (Victor Sjöström) é um professor de medicina que revisita vários momentos marcantes de seu passado durante uma viagem de carro até sua antiga universidade, onde ele irá receber uma honraria. Acompanhado de sua nora Marianne (Ingrid Thulin) ele evoca memória de sua família e de sua ex-namorada. Durante a viagem ele conhece uma garota adolescente que em muito se assemelha a Sara, seu antigo amor. A jovem pega carona com o professor e Marianne. Quanto mais Borg recorda as decepções e desilusões que viveu, mais ele se sente frio e cheio de culpa. Esses sentimentos se afloram quando ele encontra seu filho, igualmente frio e ressentido.

Online Shopping in BangladeshCheap Hotels in Bangladesh